Medidas do Orçamento do Estado são “inaceitáveis”

 

O SINTAP considera que as medidas previstas no Orçamento do Estado para 2012 são “inaceitáveis” e um “ataque brutal aos trabalhadores”.

As medidas previstas no Orçamento do Estado para 2012 são “inaceitáveis” e um “ataque brutal aos trabalhadores”, disse à agência Lusa o secretário-geral do Sindicato da Administração Pública, adiantando que os sindicatos vão dar “uma resposta à altura”.

A propósito da apresentação e entrega na segunda-feira da proposta de Lei do Orçamento do Estado para 2012, Jorge Nobre dos Santos, do Sindicato da Administração Pública (SINTAP), disse que o “corte nos subsídios de férias e de Natal para 2012 é inaceitável e não vem fazer outra coisa a não ser “penalizar sempre os mesmos”.

“Existe uma grande indignação no país. Ontem [segunda-feira] estive nos Açores e a indignação é reinante, ultrapassa tudo o que era expectável. As pessoas estão muito zangadas com toda esta situação, muito irritadas e querem que os sindicatos deem corpo à indignação”, contou.

No entender de Nobre dos Santos, não se “vislumbra qualquer crescimento que permita dar esperança às pessoas que há muito fazem sacrifícios”.

De acordo com o sindicalista, os trabalhadores da administração pública já há mais de dez anos que estão numa situação de cortes e sacrifícios.

“Não podemos aceitar que os trabalhadores continuem a ser o bode expiatório da crise. Os trabalhadores vivem numa situação inaceitável e os serviços estão à beira da rutura. Não há trabalhadores a mais na administração pública quanto muito existe má distribuição de trabalhadores”, disse.

Adiantou ainda que os sindicatos vão tentar manter os protestos ordenados e dentro da legalidade.

“Quando eles saírem da esfera dos sindicatos e forem para as ruas as coisas vão complicar-se”, disse Nobre dos Santos, acrescentando que o SINTAP tem uma reunião com o Governo marcada para quarta

Pin It on Pinterest