Portugal deve criar Rede Nacional de Reservas

A ideia é defendida por Rui Moisés, sendo que o secretário regional do Ambiente comprometeu-se a levar o pedido à Ministra da Agricultura.

O presidente da Câmara Municipal de Santana (CMS) defendeu hoje a criação de uma Rede Nacional de Reservas, à semelhança do que já acontece em Espanha.

Se Espanha tem quarenta reservas, se tem duas zonas insulares (Canárias e Baleares), nas quais há reservas que funcionam em bloco com uma coordenação do governo perfeita e onde todos ganham. Porquê que em Portugal se deixa cada reserva por sua conta? Onde é que está a coordenação? Qual é a mais-valia para este país que tem esta realidade e não potencia. Por isso, vamos fazer chegar às nossas congéneres esta vontade”, transmitiu Rui Moisés.

O autarca, que falava hoje em Santana, na sessão de abertura da X Reunião da REDBIOS, aproveitou a presença do secretário regional do Ambiente e dos Recursos Naturais para pedir-lhe que interceda junto do Governo da República para que a criação da Rede Nacional de Reservas em Portugal seja uma realidade.

É uma competência do Governo Regional fazer chegar ao Governo da República esta vontade da Madeira ter um representante que em Lisboa defenda os interesses das reservas insulares”, indicou o presidente da CMS.

Usando da palavra e respondendo ao pedido do autarca de Santana, Manuel António comprometeu-se a pedir à ministra da Agricultura, Assunção Cristas, para que seja “ativada uma organização que transforme este conjunto de reservas numa reserva acrescida, que é a reserva que resulta da união das reservas”.

O governante destacou que o trabalho conjunto é “absolutamente decisivo” para se rentabilizar o trabalho feito em cada reserva. “Não tenho dúvidas que a senhora ministra aceitará o desafio de ativar essa Rede Nacional de Reservas da Biosfera”, sublinhou.

Caso Assunção Cristas não “queira fazê-lo a nível do governo central”, o secretário regional garante que a “Madeira oferece-se para liderar o processo a nível nacional”.

Manuel António Correia aproveitou a ocasião para anunciar que os trabalhos de recuperação do percurso pedonal entre o Caldeirão Verde e o Caldeirão do Inferno, sito no concelho de Santana, já se encontram concluídos. Recorde-se que a conclusão dos referidos trabalhos estava prevista para o mês de Maio.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”] [twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest