Criado galardão Miosótis

Para Miguel Cymbron, este galardão só é possível porque os Açores “têm credibilidade internacional a nível ambiental”.

A criação do Miosótis, um galardão criado pelo Governo Regional para premiar os “bons comportamentos ambientais” nas unidades de alojamento turístico, será uma “mais-valia” para a imagem dos Açores.

A ideia é partilhada pelos diretores regionais do Turismo, Miguel Cymbron, e do Ambiente, João Bettencourt, que hoje participaram conjuntamente na ilha do Pico na cerimónia de apresentação deste galardão que tem o nome de uma planta endémica dos Açores, popularmente conhecida por “Não-me-esqueças”.

Em declarações aos jornalistas, no final da cerimónia, o Diretor Regional do Turismo destacou a “facilidade de acesso” a esta candidatura por parte dos diferentes empresários, aos quais é possibilitado aumentar gradualmente o seu “comprometimento com as práticas ambientais”, traduzido num número variável de flores, que vai de um a cinco.

Para Miguel Cymbron, este galardão só é possível porque os Açores “têm credibilidade internacional a nível ambiental”, afirmando-se mesmo como um destino Natureza que atrai “um tipo de turistas que está muito sensibilizado a este nível”.

Conforme explicou aquele responsável, com esta iniciativa os Açores estão a adaptar à realidade regional um “sistema de certificação ambiental que será fácil, prático, rápido e eficaz”, possibilitando que as unidades premiadas possam, em tempo oportuno, apresentar internacionalmente uma nova “mais-valia de reconhecimento ambiental, que os turistas valorizam”.

Desta forma, poderão também “esgrimir maiores argumentos” no sentido de trazerem ao arquipélago turistas que estejam ambientalmente motivados, argumentou Miguel Cymbron.

Por sua vez, o Diretor Regional do Ambiente sublinhou que são crescentes as referências e distinções internacionais que elegem os Açores como um destino tranquilo, de bonitas paisagens e amigo do ambiente. Só no caso desta ilha, acrescentou João Bettencourt, a Montanha do Pico foi distinguida como uma das 7 Maravilhas de Portugal e, a nível internacional, a Paisagem da Cultura da Vinha é Património Mundial.

Segundo explicou, a escolha do nome do galardão não surge por acaso, pois “Não-me-esqueças” é precisamente o que os Açores esperam de quem nos visita. O que se pretende, concluiu, é que o turista que aqui vem “não esqueça que os Açores são uma região onde o homem vive em plena harmonia com a natureza, respeita o ambiente”, daí termos “o privilégio de viver numa região com uma biodiversidade fantástica e onde a natureza é sublime”.

[twitter style=”vertical” float=”left”] [fbshare type=”button”] [fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”]

Pin It on Pinterest