Saúde ’em perigo’ no mundo rural

A CDU alerta que os concelhos rurais estão a ser os mais penalizados com os ‘cortes cegos’ que estão a ser feitos na área da Saúde.

Os comunistas denunciaram hoje que o facto de alguns Centros de Saúde da Região terem deixado de prestar os serviços de urgência no período noturno tem afetado o sector da Saúde no mundo rural e, por sua vez, a qualidade de vida das suas populações.

Em conferência de imprensa junto ao Centro de Saúde do Porto Moniz, Ricardo Lume referiu que aquele local constitui um bom exemplo das consequências negativas resultantes do encerramento dos serviços de urgência.

Para além disso, “Porto Moniz é o único concelho da Região que não tem um serviço próprio de ambulâncias, visto que este é feito pelo concelho vizinho (São Vicente). O tempo de espera da chegada de uma ambulâncias fez mesmo com que algumas pessoas viessem a falecer por falta de prontidão dos serviços médicos”, apontou o dirigente comunista.

Ricardo Lume referiu, ainda, que a referida situação torna-se ainda mais grave com a chegada do Verão, visto que neste período do ano o concelho do Porto Moniz vive principalmente do turismo, sendo que são muitos os visitantes que procuram a praia e a montanha.

O dirigente da CDU referiu ainda que a população do Porto Moniz está preocupada com a possível implementação de taxas moderadoras no centro de saúde daquele concelho.

“Não podemos deixar que o Governo Regional brinque com a Saúde. O acesso à Saúde é um direito, não podemos deixar que destruam o Serviço Regional de Saúde, de qualidade e gratuito. E sem dúvida que os concelhos rurais estão a ser os mais penalizados com os cortes cegos que estão a ser feitos na área da Saúde”, concluiu Ricardo Lume.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”] [twitter style=”vertical” float=”left”]

Pin It on Pinterest