Liliana Rodrigues questiona Comissão Europeia sobre ajuda a Portugal

No debate conjunto sobre a Política de Coesão na última sessão plenária de Estrasburgo a 13 de Setembro, a Eurodeputada Liliana Rodrigues questionou a Comissão Europeia sobre “a necessária ajuda a Portugal para fazer face aos mais de 100 mil hectares que arderam em Portugal este ano, 54% da área total ardida na União Europeia, destacando os quase 6 mil hectares ardidos na Região Autónoma da Madeira, com todos os deslocados que tal implicou e os 61 milhões de prejuízos, só na cidade do Funchal”.

Liliana Rodrigues apelou a “uma mais efectiva cooperação territorial europeia, principalmente no que respeita a regiões estruturalmente em desvantagem, dando espaço ao poder local e regional”, acrescentando que é por isso mesmo “incompreensível a obstinação desta Comissão em ameaçar Portugal com sanções através dos fundos europeus, sanções essas que afectam fortemente o país e as suas regiões ultraperiféricas. Portugal fez tudo que o que lhe foi pedido pela troika, não esquecendo que lá estavam as instituições europeias, sendo pois difícil de entender esta teimosia no discurso da punição, principalmente feita através da política de coesão e dos seus instrumentos de investimento”.

Presente em plenário, a Comissária Corina Cretu, responsável pela Política Regional, vincou o seu “compromisso com a Madeira”, referindo a sua “intenção de se encontrar com as autoridades regionais e municipais” e de tudo fazer para “para disponibilizar ajuda à Madeira”.

Na sequência da troca de ideias entre a deputada socialista e Corina Cretu, teve lugar uma reunião bilateral, a 14 de Setembro. Da ordem de trabalhos constou: os incêndios em Portugal e na Região Autónoma da Madeira, estando o processo na fase de avaliação de danos, a concluir até dia 23 de Setembro, após o qual se procederá à activação do Fundo de Solidariedade Europeu; as possíveis sanções a Portugal através dos fundos europeus e os impactos daí decorrentes para os projectos nacionais e, de forma mais específica, da Madeira e dos Açores; a controversa questão da destruição de pontes históricas no Funchal com recurso a financiamento europeu; e a Conferência de presidentes das Regiões Ultraperiféricas a ter lugar na Madeira entre 19 e 24 de setembro, tendo Liliana Rodrigues aproveitado a ocasião para convidar a Comissária Europeia a visitar a Universidade da Madeira.

Pin It on Pinterest