Museu de Angra do Heroísmo recupera memória do Depósito de Concentrados Alemães

A Direção Regional da Cultura dos Açores, através do Museu de Angra do Heroísmo, inaugura a 29 de outubro, pelas 15h00, a exposição “Depósito de Concentrados Alemães na Ilha Terceira”, numa reflexão sobre a mais direta influência da I Guerra Mundial nos Açores.

Esta mostra, que estará patente até 29 de janeiro, na Sala do Capítulo do Edifício de São Francisco, recupera a memória da permanência de mais de 750 alemães na Fortaleza de São João Baptista, ao longo de cerca de três anos, na sequência da declaração de guerra a Portugal, pela Alemanha, a 9 de março de 1916.

A exposição, comissariada por Sérgio Alberto Fontes Rezendes, historiador e profundo conhecedor dos meandros e dos reflexos da I Grande Guerra nos Açores, é profusamente ilustrada por fotografias inéditas da autoria de um dos concentrados, Alfred Hölzer.

A mostra aborda as condições de vida sob regime de aprisionamento, a logística inerente à criação e manutenção do campo e os impactos da permanência de um tão grande número de prisioneiros na economia e sociedade local da época.

A inauguração inclui uma palestra intitulada “A Grande Guerra nos Açores e a Concentração de Prisioneiros Alemães na Ilha Terceira”, por Sérgio Rezendes, do Instituto de História Contemporânea.

A exposição contou com a colaboração da Embaixada da República Federal da Alemanha, que assegurou a impressão do encarte do catálogo em língua alemã, e de particulares, que contribuíram com objetos pertencentes a familiares concentrados.

Pin It on Pinterest

Advertisment ad adsense adlogger