Liliana Rodrigues questiona a Comissão Europeia sobre Aleppo

Enquanto membro da delegação da NATO e vice-presidente para as relações da União Europeia com os Países do Mediterrâneo a deputada socialista Liliana Rodrigues pediu à Comissão Europeia respostas com carácter de urgência às seguintes questões:

“Atendendo aos relatos e imagens que nos chegam de Aleppo por parte dos media e das redes sociais que, alegadamente, mostram civis sírios a serem executados e crianças a serem encurraladas em edifícios pelas forças governamentais sírias, com o apoio da Rússia e da Turquia, gostaria de saber:

1. Que medidas concretas estão a ser tomadas pela UE para proteger estes cidadãos?

2. Que apoio está a dar a UE à evacuação destes cidadãos?

3. Que resultados concretos dos esforços diplomáticos da UE perante a ONU foram conseguidos?”

Liliana Rodrigues está bastante preocupada com os relatos que lhe chega daquela região da Síria onde, alegadamente, civis estão a ser executados, incluindo crianças e mulheres, numa lógica de porta a porta pelas forças governamentais do Governo Sírio. Alguns relatos falam de famílias inteiras que foram mortas pelas forças do Presidente Assad que conta com o apoio da Rússia e da Turquia.

“Tudo isto é de uma vergonha imensa e não entendo como podemos nós estar a financiar um acordo para integração de refugiados quando esse país é cúmplice nesta matança” disse

Liliana Rodrigues referindo-se à Turquia. “Custa-me perceber como é possível que membros da NATO lancem esta ofensiva sobre vilas e cidades matando tudo o que encontram pela frente. Custa-me lidar com o rompimento do cessar-fogo para garantir ajuda humanitária aos civis por parte de um membro da NATO. Não se pode adiar a evacuação destes cidadãos.

Não se pode deixar estas pessoas à mercê das bombas que caem de ambos os lados. Os russos deram 3 dias aos rebeldes para se entregarem mas não poupam o que resta de Aleppo, nem as suas crianças”.

Pin It on Pinterest

Advertisment ad adsense adlogger