‘Nove em cada dez portugueses vão gozar férias em 2017’

Esta é a principal conclusão do estudo sobre as intenções de férias desenvolvido pelo Instituto de Planeamento e Desenvolvimento do Turismo em parceria com a Soltrópico e a Secretaria Regional da Economia, Turismo e Cultura da Madeira. Esta previsão é, no entanto, em tudo semelhante às conclusões apuradas no ano anterior.

Outro dos números recolhidos após conclusão do estudo mostra que 74% dos portugueses pretender gozar, pelo menos, um período de férias fora de casa durante o ano que agora iniciou. Os locais escolhidos devem recair em destinos nacionais, estando o Algarve – 31% – no topo da lista. Já no mercado internacional, destaca-se a Espanha. Fora da Europa, as preferências vão para os Estados Unidos e outros países da América – Cuba e México.

A principal motivação das férias será Sol&Mar, sendo que a Cultura e a Natureza assumem também um papel de realce. Agosto é o mês preferido, seguindo-se Julho e Setembro.

A maioria dos inquiridos afirmou ainda que pretende fazer City-breaks. Os destinos favoritos são, a nível nacional, o Porto e Norte de Portugal, Alentejo, Açores e Madeira. Quando a ideia passar por sair do país, Espanha, Itália, Reino Unido e França são os favoritos.

As principais motivações para estes períodos de férias mais curtos são as City-breaks, Cultura e Natureza, sendo que o Sol&Mar aparece apenas em quarto lugar, antes da Gastronomia e Vinhos e Saúde e Bem-Estar. A maioria dos inquiridos afirma ainda que pretende fazer duas a três viagens nestas condições: City-breaks.

Os períodos favoritos para estas pausas são Abril, Maio, Junho e Setembro, optando por diversos tipos de alojamento em que se destacam os hotéis de três e quatro estrelas, casa de familiares ou alugada.

O estudo indica também que, para 2017, as decisões sobre as férias fora de casa vão ser ditadas pela poupança, com a maioria a reconhecer que faz sempre uma estimativa orçamental para as suas viagens e que as suas opções dependem de quanto conseguem poupar.

Referir ainda que as intenções de consumo turístico para este ano são superiores às de 2016, com uma previsão mais significativa de aumento do número de períodos de férias e da sua duração e um incremento menos substancial ao nível dos gastos.

O estudo teve por base um questionário aplicado pela Internet, promovido através de uma campanha no Facebook, que registou 612 questionários válidos e decorreu entre 14 e 28 de Novembro de 2016.

Pin It on Pinterest