Presidente do júri votou contra imagem que ganhou o World Press Photo 2017

O presidente do júri do concurso World Press Photo 2017, Stuart Franklin, votou contra a imagem do assassinato do embaixador russo na Turquia captada pelo fotógrafo turco Burhan Ozbilici, que venceu a categoria de fotografia do ano.

“Esta imagem de terror não deveria ser a fotografia do ano. Eu votei contra”, afirmou esta segunda-feira o presidente do concurso internacional num artigo de opinião publicado na edição “online” do jornal britânico “The Guardian”.

A foto escolhida pelo júri do prémio internacional mostra o polícia turco de pé, ao lado do corpo do embaixador Andrei Karlov, após o assassinato, que ocorreu durante um discurso, na inauguração de uma exposição de arte na capital da Turquia.

A imagem, captada por Burhan Ozbilici, fotógrafo da Associated Press, faz parte de uma série intitulada “An Assassination in Turkey” (“Um assassinato na Turquia”), que também conquistou o World Press Photo na categoria “Spot News – Stories”.

“É a imagem de um assassinato, com o assassino e o morto, ambos na mesma fotografia, e moralmente é tão problemático como publicar um terrorista a decapitar a vítima”, sustentou o presidente do júri. “Colocar esta fotografia num pedestal tão alto é um convite àqueles que contemplam a espectacularidade destes palcos: reafirma a associação do martírio e publicidade.”

Pin It on Pinterest