Previsão de agravamento do risco de incumprimento na Europa de Leste

De acordo com o Barómetro de Práticas de Pagamento na Europa de Leste, divulgado pela Crédito y Caución, 86% das empresas da região registaram atrasos no pagamento de faturas B2B durante o último ano. O relatório da seguradora de créditos centra-se na análise da atividade na República Checa, Hungria, Polónia, Eslováquia e Turquia. Para 58% das empresas, o atraso nos pagamentos deve-se a problemas de liquidez dos clientes, valor acima dos 52% registados na Europa Ocidental. Na Hungria, 78% das empresas registaram atrasos nos pagamentos devido a problemas de liquidez dos seus clientes.

De acordo com o estudo, 45% do valor total das faturas B2B entrou em atraso, um valor superior aos 42% verificados na Europa Ocidental. A taxa de incumprimento nas operações domésticas foi de 1%. Na Turquia, a percentagem média de cobranças em atraso alcançou os 61% e os incumprimentos 2%.

Em linha com a tendência na Europa Ocidental, as empresas da Europa de Leste esperam um agravamento do comportamento de pagamento dos seus clientes B2B durante os próximos 12 meses. Em concreto, 26% das empresas antecipa uma deterioração deste comportamento versus 16% que esperam uma melhoria da situação.

“As perspetivas de crescimento em algumas regiões e países do mundo parecem ser melhores que no passado, mas o risco continua a ser um fator importante. A incerteza política na zona euro está a pesar sobre as perspetivas de crescimento a médio prazo na região. Nos países emergentes da Ásia, a economia chinesa mostra ainda um elevado crescimento de 6,5%, que traduz, no entanto, um decréscimo face aos 6,7% do ano passado. Na Europa de Leste, as debilidades estruturais e o impacto negativo das sanções sobre a produtividade e o investimento continuam a pesar sobre o crescimento na Rússia. Os estreitos laços comerciais entre regiões a nível mundial implicam que a deterioração do clima económico e de negócios num ou mais mercados possa ter um impacto negativo noutros mercados, com consequências potencialmente negativas para o ambiente global de insolvências. Neste contexto, um enfoque centrado na gestão de risco de crédito comercial é essencial para manter a viabilidade financeira de um negócio”, refere Andreas Tesch, Chief Market Officer da Atradius N.V.

Pin It on Pinterest