Incerteza global afeta setor da maquinaria

De acordo com o mais recente relatório da Crédito y Caución, o setor de maquinaria e engenharia apresenta, a curto prazo, perspetivas favoráveis a nível mundial. No entanto, a seguradora de crédito salienta que muitas empresas relacionadas com o fabrico de máquinas e equipamentos para o setor do petróleo e do gás foram gravemente afetadas, em todo o mundo, pela queda dos investimentos devido aos baixos preços da energia. A Crédito y Caución destaca a sensibilidade do setor às alterações nas prioridades e orçamentos dos seus clientes finais, à incerteza geopolítica e à volatilidade das condições económicas mundiais, incluindo a ameaça de aumento do protecionismo e das barreiras comerciais.

Os rendimentos do setor nos mercados desenvolvidos são cada vez mais reduzidos devido à concorrência dos mercados emergentes. A Alemanha, onde o fabrico de máquinas e engenharia é um dos principais motores da economia, constitui um bom exemplo desta situação. Devido ao seu elevado índice de exportação, superior a 75%, o setor depende, em grande medida, da procura externa. No entanto, nos últimos anos, tem havido uma pressão cada vez maior sobre as margens devido ao aumento da concorrência, em especial da China, cada vez mais capaz de produzir máquinas de elevada qualidade.

Analisada a questão na perspectiva chinesa, há uma lacuna no desempenho do setor. Após o arrefecimento da economia, que provocou desde 2013 um excesso de capacidade, o setor orientou-se para o exterior conseguindo um crescimento global de 5,5%. Porém, 12% das empresas, valor considerado já relevante, registaram perdas cada vez maiores. “Temos observado que, desde 2014, são muitas as pequenas empresas fabricantes de máquinas que fecharam as suas portas e prevê-se que esta tendência continue. As empresas de menor dimensão e de propriedade privada enfrentam problemas de liquidez, o que leva a uma maior morosidade nos seus pagamentos e ao crescimento dos incumprimentos”, refere o relatório sobre a situação do setor na China.

As empresas de maquinaria britânicas orientadas para a exportação beneficiaram da debilidade da libra esterlina após a decisão do Brexit, registando um aumento da procura e da atividade. O setor italiano demonstrou ser relativamente resistente durante a crise devido à sua orientação para a exportação, à elevada especialização dos seus produtos e ao valor acrescentado da mecânica de precisão. Em França, o relatório insiste na elevada necessidade de capital do setor, cujas empresas podem incorrer em grandes dívidas que debilitam a sua estrutura financeira e a sua solvência. Nos Estados Unidos, o maior mercado de maquinaria do mundo, a participação dos fabricantes norte-americanos é de 50%. Neste mercado prevê-se que, em 2017, as empresas de maquinaria relacionada com a construção civil possam beneficiar dos projetos de construção. Os produtos de engenharia de qualidade continuarão a ser muito exigentes na maior parte dos segmentos industriais em 2017 e 2018.

Um dos mercados próximos que regista uma maior deterioração do setor é a Polónia, afetado pela recessão da indústria de extração do carvão desde 2012 e pelo enfraquecimento da procura russa.

Pin It on Pinterest