Açores criam ‘Estatuto para apoiar cuidadores informais de idosos’

O Presidente do Governo dos Açores anunciou, na última sexta-feira, a criação, durante este ano, do Estatuto de Apoio ao Cuidador Informal, uma medida de “grande importância” para reforçar a qualidade do apoio prestado aos idosos de toda a Região.

“Esta componente da atenção e do cuidado com este elemento fundamental desta cadeia de apoio aos nossos idosos é algo que o Governo tem desenvolvido e que pretendemos que, já neste ano de 2017, possa ser concretizado em termos de serviço disponibilizado ao cuidador informal”, afirmou Vasco Cordeiro.

O Presidente do Governo falava, nos Mosteiros, concelho de Ponta Delgada, na assinatura do protocolo com a Cruz Vermelha Portuguesa para a implementação nos Açores do serviço de teleassistência para apoio aos idosos e pessoas dependentes, disponível 24 horas por dia, todos os dias do ano.

Durante o próximo mês será aberto o período de candidaturas a este novo serviço, com os primeiros equipamentos de teleassistência a serem disponibilizados no mês de julho.

Na sua intervenção, Vasco Cordeiro salientou que o Estatuto do Cuidador Informal, destinado a apoiar aqueles que cuidam dos idosos e de quem se encontra em situação de maior fragilidade, integra-se na política social do Governo dos Açores de garantir as melhores respostas possíveis.

Segundo disse, este estatuto pretende, assim, assegurar aos cuidadores apoio diverso ao nível da formação e informação, mas também no âmbito psicossocial e de infraestruturas que permitam garantir os necessários períodos de descanso.

“A definição deste Estatuto de Apoio ao Cuidador Informal é uma medida que consideramos de grande importância”, salientou Vasco Cordeiro, ao adiantar que, por essa via, se criam as condições para que, mantendo as raízes e a ligação dos idosos às suas comunidades de origem, seja possível garantir-lhes o serviço adequado.

Pin It on Pinterest