Rússia condenou o último ensaio da Coreia do Norte

A Rússia condenou hoje o último ensaio com um míssil balístico efectuado pela Coreia do Norte, o terceiro em uma semana, ao mesmo tempo que pediu moderação aos países implicados na crise na península coreana.

“Estamos preocupados com a situação”, afirmou o vice-ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Vladimir Titov, apelando aos países que participam nas negociações a seis (Estados Unidos, China, Japão, as duas Coreias e a Rússia) que “mostrem moderação, em particular, em relação à atividade militar na região”.

A Rússia e a China, recorde-se, consideram “inaceitável” incluir a Coreia do Sul e, no futuro, o Japão no sistema norte-americano antimísseis. Na semana passada, ambos os países expressaram a sua oposição categórica ao programa de mísseis da Coreia do Norte, país com o qual a Rússia partilha 20 quilómetros de fronteira.

“Defendemos a adopção de medidas que, por um lado, impeçam um maior desenvolvimento do programa de mísseis norte-coreano e, por outro, não provoquem mais tensão na região”, afirmou o ministro nos Negócios Estrangeiros russo, Serguei Lavrov, após uma reunião com o chefe da diplomacia da China, Wang Yi.

A Rússia, a China, os Estados Unidos, o Japão e as duas Coreias participam desde 2003 em negociações a seis para a resolução da crise nuclear coreana, que estão paradas desde 2008.

Pin It on Pinterest