“EDP foi a única empresa que cumpriu a lei”, diz Mexia

António Mexia garante que a EDP foi “a única empresa que cumpriu a lei” no caso dos Custos de Manutenção do Equilíbrio Contratual (CMEC). O presidente da EDP rejeitou hoje, na sede da energética, em Lisboa, demitir-se do cargo na sequência da investigação em curso aos CMEC, pela qual Mexia e o presidente da EDP Renováveis, Manso Neto, foram constituídos arguidos na passada sexta-feira.

“Não houve ajuda de Estado, não houve nenhum beneficio para a EDP. É bom que fique claro. Os acordos celebrados com o Estado, no que diz respeito aos contratos de energia, foram resultantes de decisões do Estado e foram aprovados pelos órgãos competentes. Actuámos com correcção em todos. Todos os assuntos que foram objecto de queixa foram clarificados, não foram arquivados por questões de tempo. Não podemos aceitar que se ponham em causa o bom nome da empresa e o desempenho da companhia ao longo de décadas” destacou António Mexia.

O processo, que teve origem, segundo Mexia, numa queixa anónima em Portugal e numa queixa não anónima junto da Comissão Europeia, ficou “esclarecido” junto de Bruxelas, que considerou os contratos “adequados ao que era expectável numa economia de mercado”.

Pin It on Pinterest