Manuel Pinho já não é arguido no caso EDP

O ex-ministro da Economia, Manuel Pinho, já não é arguido no caso EDP, uma vez que o juiz Ivo Rosa deu razão à pretensão das defesa e decretou a nulidade da constituição de arguido pela Polícia Judiciária.

A defesa de Manuel Pinho, a cargo de Ricardo Sá Fernandes, alegava que o ex-ministro de José Sócrates não foi informado no dia 3 de Julho de 2017 dos factos pelos quais era suspeito, aquando da sua constituição de arguido na Polícia Judiciária (PJ) por suspeitas de corrupção passiva, fraude fiscal e branqueamento de capitais.

Como estão em causa razões formais, os procuradores Carlos Casimiro e Hugo Neto poderão voltar à ‘carga em breve’. Ou seja, desde que informem os arguidos de todos os factos alegadamente criminosos que lhe são imputados e desde que questionem os arguidos sobre os mesmos, os magistrados poderão ordenar à PJ tais interrogatórios com o objectivo de constituir novamente Manuel Pinho como arguido e pelos mesmos crimes que lhe foram imputados o ano passado.

Pin It on Pinterest