Portugal sobe quatro lugares no Quadro Europeu de Inovação

Portugal subiu quatro lugares na edição de 2017 do Quadro Europeu de Inovação, sendo o 14.º melhor Estado-membro da União Europeia nesta área. Invertendo o retrocesso existente entre 2011 e 2016, esta é a melhor classificação que o País atingiu até hoje.

Publicado anualmente pela Comissão Europeia desde 2001, este Quadro utiliza vários indicadores para classificar o desempenho dos Estados-membros na área da inovação.

Os Estados-membros podem ser líderes de inovação, inovadores fortes, inovadores moderados ou inovadores modestos. Há nove anos que Portugal é um inovador moderado. Para a evolução do País nesta classificação contribuiu a sua melhoria em 12 indicadores face a 2016.

Segundo o relatório de 2017, os pontos fortes de Portugal são o nível do ambiente para a inovação, a atratividade do sistema de investigação, e a qualificação avançada dos recursos humanos.

O País está acima da média europeia em indicadores como a penetração da banda larga nas empresas, a produção de novos doutorados ou a formação em tecnologias de informação e comunicação dada pelas empresas.

Dada a importância da inovação para o aumento da competitividade, o Governo apresentou em fevereiro o Programa Interface para reforçar as ligações entre empresas, ensino superior e centros tecnológicos, traduzindo o conhecimento em valor económico.

O Programa Interface assenta nos seguintes pilares: Capacitação dos centros tecnológicos para colaborarem mais com as empresas em áreas como a eficiência produtiva, a qualidade, a digitalização, novos produtos e processos; Desenvolvimento de laboratórios colaborativos, isto é, projetos de investigação I&D entre empresas e instituições científicas e tecnológicas; e Clusters como base de mobilização setorial e de internacionalização.

Nas áreas do empreendedorismo e promoção do potencial criador de novas empresas, destaca-se o Programa Start-up Portugal apresentado pelo Governo em junho de 2016.

Este Programa visa apoiar a criação de negócios inovadores baseados em conhecimento e tecnologia através do respetivo ecossistema, financiamento e internacionalização.

Com o Start-up Portugal pretende-se ainda fomentar a aceleração do crescimento deste tipo de empresas através de mecanismos de financiamento e de acompanhamento adequados às diversas fases de desenvolvimento.

Pin It on Pinterest