Bruxelas aguarda pelo pedido ao Fundo de Solidariedade Europeu

A comissária europeia para a Política Regional, Corina Cretu, diz que Bruxelas aguarda pelo pedido de Portugal para recorrer ao Fundo de Solidariedade Europeu, depois dos prejuízos causados pelo incêndio em Pedrógão Grande.
Corina Cretu revelou que o Governo português pediu para acelerar o processo, mas que nem sequer é possível iniciá-lo porque ainda não chegou o pedido formal de Lisboa. A comissária europeia reconhece que a avaliação dos danos “não é um exercício fácil para as autoridades portuguesas”, mas salienta que Bruxelas tem que receber uma avaliação dos danos “e ver se são elegíveis”.

No entender de Bruxelas poderá haver “um problema” relacionado com o facto de os incêndios terem sido florestais “e não numa zona económica”. A mesma responsável diz que a Comissão Europeia está à espera que Portugal accione o Fundo de Solidariedade e que já explicou claramente ao ministro Pedro Marques as regras para a União responder a esta situação.
O Governo da República, pela voz do secretário de Estado do Desenvolvimento e Coesão, Nélson de Souza, já veio dizer que a candidatura ao Fundo deverá ser encaminhada na próxima semana.

Segundo um levantamento feito pela Coordenação e Desenvolvimento da Região Centro, no início deste mês de Julho, recuperar o concelho de Pedrogão vai custar cerca de 500 milhões de euros.

Pin It on Pinterest