Prémios Sê-lo Verde vão estender-se a outros eventos

O Programa Sê-lo Verde vai alargar a sua área de influência a outro tipo de eventos em 2018, não se restringindo apenas aos festivais de música. Este programa, financiado pelo Fundo Ambiental, vai aumentar a verba disponível para medidas inovadoras e amigas do Ambiente.

A dotação de 500 mil euros vai aumentar para os 600 mil euros mas, ao contrário deste ano, em que não se exigiam requisitos mínimos, em 2018, só serão aceites candidaturas de promotores que garantam, entre outras medidas, recolha seletiva de resíduos, que usem copos reutilizáveis e que disponibilizem água potável não engarrafada.

Na entrega de prémios a oito dos 21 dos festivais que aderiram ao programa «Sê-lo Verde», em Lisboa, o Ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, destacou a «fortíssima mensagem ambiental» que os 2,1 milhões de espetadores que estiveram presentes nestes eventos receberam em 2017.

As práticas ecológicas e promotoras de uma economia circular, como só haver água da torneira disponível, copos que não eram descartáveis, e a possibilidade de recarregar telemóveis com dispositivos a energia solar, permitiram poupar 250 mil euros só na gestão de resíduos, referiu o Ministro.

Depois de um ano em que os festivais terão produzido menos 160 mil toneladas de lixo (estimativa é que cada espetador seja responsável por 7,5 quilos de resíduos) e onde o público foi sensibilizado para a importância da adoção de práticas mais ecológicas, o objetivo será ainda mais exigente, com os eventos a terem de possuir à partida copos recicláveis e fornecer água da torneira.

O objetivo do «Sê-lo Verde» passa agora por chegar a outro tipo de eventos ao ar livre com entrada paga, como as feiras promovidas pelas autarquias.

Em 2018, haverá também espaço para o apoio financeiro a «atividades mais exigentes de educação ambiental e boas práticas».

Pin It on Pinterest