Aumenta a utilização do subsídio de Natal para a compra de presentes

74% dos inquiridos pelo Observador Cetelem 2017 preveem utilizar o seu subsídio de Natal na compra de prendas. Este é um aumento de 10 pontos percentuais face a 2016 e é o valor mais elevado desde 2011, quando 82% dos portugueses asseguravam utilizar o seu subsídio nesta época do ano. Os dados apontam para um crescimento sustentado desde 2014, ano em que os resultados indicaram que apenas 46% dos inquiridos planeavam utilizar o subsídio em presentes natalícios.

Do total de consumidores inquiridos pelo estudo do Observador Cetelem, 48% utilizam uma parte significativa do seu subsídio nas compras de Natal. Já 9% assumem que reservam apenas uma pequena parte para este período. Para 17% dos portugueses o subsídio de Natal não é suficiente.

Estes valores são bastante diferentes face ao registado em 2016. Além de aumentar em 10 pontos percentuais a disponibilidade para utilizar o subsídio nas prendas de Natal, no ano passado 33% dos portugueses ponderavam utilizar uma parte significativa do subsídio (menos 15% que este ano), 23% previram utilizar apenas uma pequena parte (mais 14% que o valor previsto para 2017) e 8% consideravam que o valor extra que recebiam não era suficiente (menos 9 pontos percentuais que o referido este ano).

Por fim, apenas 10% dos inquiridos não planeiam utilizar o subsídio de Natal, o mesmo valor percentual que no ano passado, enquanto 13% não irão sequer comprar prendas de Natal (ainda assim, menos 6% que o número verificado em 2016).

Pedro Camarinha, Diretor Distribuição do Cetelem, assinala que «há uma maior predisposição para o consumo, começando a aproximar-se de registos pré-crise. O aumento da utilização do subsídio de Natal em presentes é, neste sentido, mais um sinal do aumento da confiança nacional. Ainda assim, 7% de portugueses considera que o valor do subsídio não é suficiente e sugere que consideram ter um salário ainda baixo para fazer face às despesas correntes e ainda ter capacidade para consumir».

O Observador Cetelem Natal 2017 tem por base uma amostra representativa de 600 indivíduos residentes em Portugal Continental, de ambos os géneros e com idades compreendidas entre os 18 e os 65 anos. Estes foram entrevistados telefonicamente, com informação recolhida por intermédio de um questionário estruturado de perguntas fechadas. O trabalho de campo foi realizado pela empresa de estudos de mercado Nielsen, entre os dias 23 setembro a 6 de outubro, e um erro máximo de 4,0 para um intervalo de confiança de 95%.

Pin It on Pinterest