Supremo recusou pedido do Ministério Público

O Supremo Tribunal de Justiça espanhol recusou o pedido do Ministério Público para voltar a emitir um mandado europeu de detenção contra o ex-presidente da Catalunha, Carles Puigdemont, que se deslocou a Copenhaga, na Dinamarca, para participar numa conferência.

O juiz Pablo Llarena admite numa nota que o pedido é razoável, mas acrescenta que há razões que levam a que a emissão de um mandato deste tipo deva ser adiada. O juiz explica que a deslocação de hoje de Puigdemont a Copenhaga tem precisamente o objectivo de “provocar uma detenção no estrangeiro” para poder responsabilizar o Estado espanhol pela sua ausência numa reunião do Parlamento catalão em que deverá ser investido Presidente do governo.

Carles Puigdemont é acusado em Espanha de delitos de rebelião, sedição e peculato na sequência da tentativa de criar um Estado independente na Catalunha.

Pin It on Pinterest