Rodrigues quer moralizar política na Madeira

O líder regional do CDS/PP diz que a política não pode ser um oásis de benesses, enquanto às famílias se pedem sacrifícios.

 Os populares realizaram hoje uma conferência de imprensa para apresentar medidas de controle orçamental para a Região Autónoma da Madeira. José Manuel Rodrigues disse que a política e a governação não podem ser um “oásis de benesses”, enquanto às famílias e às empresas se pedem “mais sacrifícios”.

E, como tal, a apresentação de um pacote legislativo para acabar com o estado de excepção que se assiste, nomeadamente: fim do subsídio de reintegração dos deputados; extinção da reforma vitalícia; proibição da acumulação de pensões ou vencimentos por titulares de cargos políticos; limitação dos vencimentos dos gestores públicos ao ordenado do Presidente da Assembleia; redução em 30% das verbas atribuídas aos partidos e grupos parlamentares; e aplicação do regime de incompatibilidades.

O deputado sublinha que estas propostas do CDS/PP são “do mais elementar bom senso” e podem caracterizar uma verdadeira “missão de serviço público”. Sem esquecer uma inevitável poupança, cujas verbas podem ser utilizadas, depois, para atenuar as carências sócio-económicas das famílias e empresas madeirenses.

De acrescentar que na apresentação do Orçamento do Estado para 2012, o Ministro das Finanças, Vítor Gaspar, não adiantou quais as medidas a aplicar especificamente da região autónoma, à excepção da redução de transferências.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”]

[fbshare type=”button”]

Pin It on Pinterest