SITAM não vai nas “lamentações” das associações

Ivo Silva, presidente do SITAM, diz que os trabalhadores não acreditam nas lamentações das associações.

O horário de Natal, ainda dependente da Câmara Municipal do Funchal, mais meia hora de trabalho e as propostas de revisão das tabelas salariais dos Contratos Colectivos de Trabalho, que prevêem um aumento de 5%, estiveram sobre a mesa, em mais uma conferência do SITAM – Sindicato dos Trabalhadores de Escritório, Comércio e Serviços.

Ivo Silva acusou as associações comerciais e empresariais, tais como a ASSICOM, a ACS ou a ACIF, de aproveitamento ilícito da crise. Mais trabalho, mais horas, pelo mesmo dinheiro. Mas os sindicatos “não vão dar ouvidos às lamentações”.

“Esta crise é ‘laboratorial’ e destina-se a reduzir os salários. A prova é que os alimentos estão nos supermercados, os electrodomésticos nas lojas e também o calçado e o vestuário, com rotatividade de stocks”.

O sindicalista aconselhou todos os trabalhadores a informarem-se junto das entidades competentes. Até porque, no que concerne à meia hora anunciada pelo Governo da República, nada está “em vigor”.

“Alertamos os trabalhadores para que não trabalhem para além das 40 horas semanais, sem primeiro contactarem o Sindicato”.

Ivo Silva acrescentou que, caso a revisão salarial não seja feita atempadamente, as empresas também saem prejudicadas. “Podem ter de pagar os retroactivos num momento impróprio para as contas”.

[fblike style=”standard” showfaces=”false” width=”450″ verb=”like” font=”arial”] [fbshare type=”button”]

 

 

Pin It on Pinterest