Queda no indicador de confiança dos consumidores

Dados divulgados pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) relevam que, em agosto, os indicadores de confiança dos consumidores e de sentimento económico diminuíram na Área Euro (AE), após terem aumentado entre maio e julho. No último mês, os preços das matérias-primas e do petróleo apresentaram variações em cadeia de -1,2% e 0,7%, respetivamente (-1,5% e -5,5% em julho).

Em Portugal, o indicador de atividade económica diminuiu entre abril e julho, depois de ter estabilizado no mês precedente, enquanto o indicador de clima económico aumentou em julho e agosto. O indicador quantitativo do consumo privado desacelerou entre maio e julho, refletindo, em larga medida, o crescimento menos expressivo do consumo duradouro no último mês.

Já o índice de volume de negócios da indústria registou uma variação nominal ligeiramente menos negativa em julho, verificando-se uma variação negativa do índice de produção industrial e do respetivo índice de preços. O índice de volume de negócios dos serviços apresentou uma diminuição menos intensa em termos nominais em junho e julho. O índice de produção da construção e obras públicas registou uma variação negativa mais acentuada no último mês.

De acordo com as estimativas provisórias mensais do Inquérito ao Emprego, a taxa de desemprego (15 a 74 anos), ajustada de sazonalidade, foi 11,1% em julho (idêntica à taxa definitiva observada em junho, mas menor em 0,5 e em 1,2 pontos percentuais que as registadas três meses antes e há um ano atrás, respetivamente). A população empregada (15 a 74 anos), ajustada de sazonalidade, aumentou 0,2% face a junho e 1,5% em termos homólogos.

Ainda de acordo com o INE, o Índice de Preços no Consumidor (IPC) apresentou uma variação homóloga de 0,7% em agosto (0,6% em julho), observando-se uma taxa de variação de 0,3% na componente de bens (0,1% no mês anterior) e de 1,3% na de serviços (idêntica à observada em julho).

Pin It on Pinterest