Concessão da lota de Câmara de Lobos até final de 2016

A Câmara Municipal de Câmara de Lobos deliberou esta manhã, em reunião de Câmara ordinária ocorrida pelas 10:00 no Salão Nobre dos Paços do Concelho, a iniciar o procedimento público para concessão do direito de exploração dois prédios na Baía de Câmara de Lobos, onde funcionaram a lota e os antigos Paços do Concelho.

A proposta apresentada pelo Presidente da Câmara foi aprovada por unanimidade.

O Presidente da Câmara, Pedro Coelho, referiu que, os serviços municipais estudaram as várias possibilidades em matéria de concessão dos edifícios, tendo a edilidade optado por um modelo de concessão através do arrendamento pelo período de cinquenta anos mediante o pagamento de uma renda anual mínima no valor de 49.750,00 euros.

O edil referiu que em alternativa ao modelo que será adotado, colocou-se a possibilidade de optar pelo pagamento «à cabeça» de cerca de um milhão de euros. Porém, feitas as contas, e considerando a capacidade atual de endividamento do Município, o executivo considerou preferível optar pelo arrendamento, pois, no longo prazo, no final da concessão serão arrecadados mais de 2,8 milhões de euros para os cofres do município.

De referir que o caderno de encargos, para além da componente financeira, considera outros critérios de avaliação das propostas dos concorrentes por forma a garantir a sustentabilidade e a execução do projeto hoteleiro. Atendendo ao local onde se insere o edifício a concessionar, a Câmara considera vital garantir que o projeto hoteleiro que ali venha a surgir, seja levado a cabo por investidores com experiência no ramo da hotelaria, nomeadamente que já explorem, pelo menos, três unidades hoteleiras de 4 estrelas.

Pedro Coelho referiu ainda que quando iniciou as suas atuais funções autárquicas, desde a primeira hora apostou na captação de investimento hoteleiro na baixa da cidade. A cidade de Câmara de Lobos tem uma vocação hoteleira por excelência e apresenta condições únicas no contexto regional, as nunca foram aproveitada. Assim, logo em 2014, coordenou o inventário integral de imóveis devolutos na zona do ilhéu, Rua Nova da Praia e Trincheira, tendo, à data sido identificados vários imóveis propriedade do Governo Regional devolutos. Após varias reuniões de trabalho e negociações com o Governo, a Câmara adquiriu o prédio da Lota e “convenceu” o Governo a alienar vários imóveis, os quais foram vendidos na semana passada por montantes muito superiores aos valores base dos concursos, aguardando-se que os investidores iniciem tão breve quanto possível as obras de requalificação.

O autarca revela que o interesse dos investidores é sintomático do potencial efetivo de Câmara de Lobos ao nível turístico, sendo que, fruto das ações que têm vindo a ser desenvolvidas nos últimos anos e da visão estratégica preconizada pela autarquia, os investidores têm vindo a reconhecer em Câmara de Lobos um território “business friendly”, que proporciona boas condições para o investimento, em especial no setor turístico e hoteleiro.

O atual processo de concessão do direito de exploração será submetido à Assembleia Municipal extraordinária, que já está agendada para a próxima sexta-feira, dia 14 de outubro, para deliberar sobre a autorização da concessão do imóvel, sendo objetivo do Presidente da Câmara que até final do corrente ano o processo de concessão esteja concluído.

Pin It on Pinterest