Cafôfo abriu Conferência sobre Agricultura Biológica e Desenvolvimento Sustentável

O presidente da Câmara Municipal do Funchal, Paulo Cafôfo, acedeu ao convite da Associação “OrganicA”, que promove os benefícios da Agricultura Biológica e do consumo de produtos de qualidade certificada, para abrir, no Colégio dos Jesuítas, uma Conferência sobre Agricultura Biológica e Desenvolvimento Sustentável.

Na ocasião, o edil assumiu-se como um entusiasta de produtos biológicos, considerando este tipo de prática estruturante, “a nível de Saúde, Ambiente e estilo de vida”, antes de abordar aquele que tem sido o papel da Autarquia que preside a nível de práticas sustentáveis, quer no que respeita ao Ambiente, como ao Turismo.

Paulo Cafôfo considerou que o Funchal “é um município de referência em termos ambientais, como se comprova pela indicação da cidade enquanto finalista para ser Capital Verde Europeia, pela Comissão Europeia, ou pelo Galardão ECO XXI, atribuído pelo segundo ano pela Associação Bandeira Azul da Europa, com vista a premiar as nossas práticas de excelência”, lembrando que a capital da Região foi, igualmente, “uma das primeiras cidades madeirenses a abolir o uso do glifosato, um herbicida muito perigoso, pelos serviços municipais”, decisão pela qual, de resto, a “OrganicA” já tinha publicamente parabenizado a Autarquia.

Com a alusão a outras práticas ambientais importantes, como o progressivo aumento dos índices da Recolha Seletiva de Resíduos no Concelho, as medidas pioneiras ao abrigo da Causa Animal ou o novo Plano de Ação Florestal para o Parque Ecológico do Funchal, Paulo Cafôfo explicou que “também na Estratégia Municipal de Turismo do Funchal, houve a preocupação de estimular um Turismo Sustentável, que remete para o Turismo de Saúde, que está na génese da oferta turística da Região.” O Presidente reforçou que “o Funchal tem de saber diferenciar e qualificar o seu produto turístico neste sentido, e potenciar experiências, que tenham por base este regresso às origens”, considerando, ainda, o Agroturismo como outra área digna de registo.

O presidente terminou com algumas considerações sobre a prática de Agricultura Biológica na Região, enaltecendo as hortas urbanas da CMF e, em particular, “um projeto de grande estima para o Executivo, como é o Pomar Comunitário no Conjunto Habitacional do Palheiro Ferreiro, mantido pelos moradores, com o apoio da Autarquia”, e acrescentou que, também neste campo, o seu Executivo tem apresentado decisões visíveis: “a passagem do Mercadinho Biológico para a Placa Central foi uma decisão acertada, no sentido de emprestar a notoriedade merecida a estes produtos”, o que terá continuidade em breve, com o concurso para duas novas lojas de produtos biológicos no Mercado dos Lavradores.

Pin It on Pinterest