Madeira terá a primeira área de Portugal para a proteção de cetáceos

A Madeira terá a primeira área de Portugal específica para a proteção de baleias, golfinhos, e de outros vertebrados como a tartaruga-comum e o lobo-marinho – o SIC Cetáceos. A Secretaria Regional do Ambiente e Recursos Naturais convidou um conjunto de entidades ligadas aos Mar para uma visita à área que o Governo regional pretende ver reconhecida pela União Europeia como Sítio de Importância Comunitária da Rede Natura 2000. Devido às suas características, os mares da Região ostentam uma elevada diversidade de espécies, sendo uma mais-valia ecológica, cultural e socioeconómica que importa conservar.

O Governo Regional sentiu a necessidade de criar uma área classificada que realce a monitorização dos cetáceos, aumentando o conhecimento científico sobre os mesmos e que facilite e torne mais objetiva a conciliação com as principais atividades económico-marítimas, que beneficiarão diretamente com o reconhecimento internacional e da maior visibilidade.

O SIC Cetáceos assegura, de acordo com Susana Prada, “uma melhor representatividade dos valores naturais do arquipélago, contribuindo para trazer maior coerência à Rede Natura 2000 em Portugal, e ajudando a assegurar o objetivo da Convenção sobre a Diversidade Biológica, em que Portugal se compromete a proteger 10% das suas áreas marinhas até 2020”. Com este Sítio, o arquipélago passa a contribuir com cerca de 2% das suas áreas marinhas para este objetivo.

A área abrange todas as águas marinhas em redor da Ilha da Madeira, Desertas e Porto Santo:
. O limite interior está a 1 milha da costa;
. O limite exterior segue a batimétrica dos 2500 metros;
. Área aproximada 682 mil hectares.

“A criação do SIC Cetáceos será uma mais-valia na promoção do destino e trará valor acrescentado ao produto turístico explorado pelas atividades marítimo-turísticas”, realça Susana Prada.

Pin It on Pinterest