Nova ameaça de bomba encerrou metro em São Petersburgo

A estação de metro Sennaya Ploshchad, em São Petersburgo, na Rússia foi encerrada depois de uma chamada anónima ter alertado as autoridades para a eventual existência de uma bomba. É a mesma onde ontem uma explosão causou 14 mortos e perto de 50 feridos.

Os comboios estão a passar sem parar na estação, uma das mais concorridas do metro da antiga capital russa. De acordo com a agência de notícias Associated Press, outras três estações foram encerradas pelos mesmos motivos.

As autoridades russas reforçaram as medidas de segurança em toda a cidade, assim como na capital, Moscovo, tanto nos meios de transporte como em edifícios públicos, praças, escolas ou creches.

A bomba que rebentou numa carruagem do metro entre as estações de Sennaya Ploshchad e Tekhnologichesky Institut, ontem, terá sido detonada por um bombista suicida. Foram encontrados restos mortais de um homem com vestígios que apontam para que se trate do bombista, ainda que a sua identificação só possa ser feita após testes de ADN.

O suspeito do atentado no metro em São Petersburgo, na Rússia, é um cidadão russo nascido no Quirguistão. Um porta-voz do Comité Nacional de Segurança do Quirguistão (GKNB) terá identificado o suspeito como sendo Akbarzhon Jalilov, nascido na cidade de Osh em 1995.

Pin It on Pinterest