g7+ vai ter sede em Lisboa

O g7+, organização internacional intergovernamental que tem como membros países considerados frágeis, vai ter sede em Portugal com a ajuda da Câmara Municipal de Lisboa. O acordo assinado prevê a colaboração da autarquia na cedência de um edifício localizado na Avenida 24 de Julho.

Um projeto que tem “a cara de Lisboa”, diz Fernando Medina, “uma cidade cosmopolita, tolerante e aberta ao mundo onde todos se sintam bem!”.

Para Fernando Medina, com a assinatura deste Memorando, a capital portuguesa contribui para que o desenvolvimento chegue a mais países de mundo.

“Um dia histórico” para Xanana Gusmão, membro do Conselho Consultivo da organização internacional e ministro do Planeamento e Investimento Estratégico de Timor, para quem esta cedência é mais “uma expressão da solidariedade do povo português”.

No texto do documento pode ler-se que “a implementação do escritório da Delegação na Europa do Secretariado do g7+ na cidade de Lisboa irá permitir, ao Município e a Portugal, fortalecer a cooperação e os laços de amizade de e com os Estados Membros desta organização intergovernamental, assim contribuindo para a promoção internacional de um desenvolvimento mais sustentável, democrático e inclusivo”.

Estabelecido formalmente em 2010, o g7+ é uma organização intergovernamental que tem permitido aos países afetados por conflitos influenciarem de forma mais decisiva a formulação das políticas de desenvolvimento.

É composto por 20 países: Afeganistão, Burundi, Chade, Comores, Costa do Marfim, Guiné, Guiné-Bissau, Haiti, Iémen, Ilhas Salomão, Libéria, Papua Nova Guiné, República Centro-Africana, República Democrática do Congo, São Tomé e Príncipe, Serra Leoa, Somália, Sudão do Sul, Timor-Leste e Togo.

Pin It on Pinterest