Corpo Nacional de Escutas solidário e ao serviço na tragédia de Pedrógão Grande

O Corpo Nacional de Escutas, através do seu Chefe Nacional, Ivo Faria, dedica às famílias das vítimas desta enorme catástrofe uma nota de solidariedade e profundo pesar.

Os escuteiros têm o lema de estar sempre alerta para servir, todos os dias e a cada necessidade. Mas nestas situações de particular emergência e dor, estamos ainda mais atentos e disponíveis para, com segurança para os nossos escuteiros, prestar o apoio necessário e servir operacionais e populações.”, afirma Ivo Faria.

O Departamento Nacional de Proteção Civil e Segurança do Corpo Nacional de Escutas (DNPCS – CNE) garante o apoio de retaguarda em situações de necessidade despoletadas por episódios de intervenção das entidades de proteção civil no teatro de operações.

«A propósito do incêndio de Pedrógão Grande, o DNPCS – CNE intervém na retaguarda dos bombeiros, no apoio alimentar e na manutenção operacional dos aquartelamentos, e ainda no apoio a evacuações e no suporte alimentar a deslocados. Neste momento há diversos escuteiros das regiões de Coimbra e Portalegre/Castelo Branco envolvidos, de vários agrupamentos, atuando em dois pontos fulcrais desta operação: Pedrógão Grande e Penela.

O DNPCS-CNE tem um oficial de ligação integrado no Posto de Comando Operacional da Proteção Civil, garantindo a adequação de meios às necessidades.

Esta intervenção do Corpo Nacional de Escutas é comum ao longo do ano em situações desta natureza em todo o território nacional. É de retaguarda, salvaguardando a segurança e proteção dos jovens envolvidos, libertando destas funções os operacionais, colocando-os no palco das operações.

Os nossos pensamentos e as nossas orações estão agora virados para os familiares e as comunidades enlutadas».


PUB