Morte de estudante faz Trump ameaçar Coreia do Norte

A morte de Otto Warmbier, esta madrugada, fez Donald Trump ameaçar o regime de Pyongyang. O estudante de 22 anos chegou em coma aos Estados Unidos, no passado dia 13 de Junho, depois de 17 meses preso na Coreia do Norte.

“O destino de Otto aumenta a determinação da minha administração de evitar que estas tragédias aconteçam a pessoas inocentes às mãos de regimes que não respeitam o Estado de Direito ou a mais básica decência humana”, escreveu Donald Trump em comunicado. “Os Estados Unidos condenam mais uma vez a brutalidade do regime da Coreia do Norte quando choramos a sua última vítima.”
O secretário de Estado norte-americano, Rex Tillerson, também considerou Pyongyang responsável pela morte de Otto Warmbier, porque provocada por uma “detenção injusta.”

A morte acontece durante um momento particularmente tenso das relações entre Estados Unidos e a Coreia do Norte, com Washington a enviar um porta-aviões para a zona, depois de Pyongyang ter feito vários testes de mísseis intercontinentais.

O estudante norte-americano foi detido a 2 de Janeiro de 2016 no aeroporto de Pyongyang acusado de roubar um cartaz de propaganda de um hotel norte-coreano. Foi julgado dois meses depois e ao fim de uma hora, os juízes condenaram-no a 15 anos de trabalhos forçados.
Otto Warmbier, estudante de economia, estava a viajar pela China quando decidiu fazer um desvio até à Coreia do Norte atraído pela publicidade de uma agência de viagens chinesa que promoviam “destinos que a tua mãe preferia que te mantivesses longe.”

Segundo as autoridades norte-coreanas, pouco depois de ter sido condenado, Otto Warmbier contraiu botulismo e terá entrado em coma quando lhe foi dado um comprimido para dormir.

Pin It on Pinterest