Jornalista japonesa morreu por excesso de trabalho

Uma funcionária da emissora pública do Japão morreu depois de fazer 159 horas extraordinárias de trabalho, tendo folgado apenas dois dias no mês que antecedeu a sua morte.

Miwa Sado era jornalista e trabalhava na sede da NHK, em Tóquio. Morreu de falência cardíaca em Julho de 2013, mas só esta semana o caso foi tornado público pela própria emissora em que trabalhava. Inspectores do trabalho japoneses atribuíram a morte da jornalista, de 31 anos, a karoshi – morte por excesso de trabalho.

A jornalista morreu três dias depois de cobrir as eleições da assembleia da área metropolitana de Tóquio e as eleições para a câmara alta do parlamento japonês, que se realizaram em Junho e Julho de 2013.

Pin It on Pinterest