PTP apresenta Projeto de Resolução “Plano regional de florestação com espécies de difícil combustão”

A Representação Parlamentar do Partido Trabalhista Português apresenta o Projeto de Resolução, intitulado “Plano regional de florestação com espécies de difícil combustão”, cujo teor do documento assinado pela deputada na ALM, Raquel Coelho, é o seguinte: «Nestes últimos anos, a ilha da Madeira, foi fustigada com quatro grandes incêndios, com devastadoras consequências para Região Autónoma da Madeira, com perda de vidas humanas, animais, muito património natural e edificado destruído.

No âmbito das medidas e ações para defender o território da Região Autónoma da Madeira dos incêndios florestais e urbanos, há que encontrar novos modelos para a reflorestação e sustentação da floresta, dado o tipo de orografia da ilha e a ocorrência de catástrofes ser crescente, em consequência também das alterações climáticas e do aquecimento global.

A floresta constitui um recurso de enorme importância, fonte de riqueza ambiental, económica social para o arquipélago e nesse sentido assume-se a necessidade de proceder a profundas alterações do setor florestal, com a valorização das espécies de difícil combustão, e a mitigação de fenómenos como os incêndios florestais, assente num reforço da sustentabilidade da gestão floresta.

Desde logo, impõe-se a criação de condições mais adequadas para a implantação e expansão de espécies florestais de difícil combustão, as designadas “árvores bombeiras”, como é o caso dos bidoeiros, carvalhos e castanheiros. Sendo árvores folhosas conseguem manter o ambiente húmido e

durante o verão estão verdes dificultando por isso a sua combustão, durante os períodos de calor e mais propícios à ocorrência de incêndios. Por outro lado, produzem uma folhada que ao acumular-se no solo é pouco inflamável e se decompõe com facilidade, ou seja, cai no outono e quando chega o verão grande parte decompõem-se. Deixando pouca manta-morta, altamente potenciadora de incêndios. Criando uma zona de corta fogo natural.

Contudo, para que a reflorestação vá de encontro aos objetivos pretendidos, tem de ser realizada de forma inteligente. Sendo fundamental a criação de plano regional florestação que dê primazia a espécies de difícil combustão e, por outro lado que restinga a expansão da área de eucalipto, árvore altamente inflamável e potenciadora de incêndios.

Assim, em conformidade com a Constituição da República Portuguesa e com o Estatuto Político-Administrativo da Região Autónoma da Madeira e de acordo com o Regimento, a Assembleia Legislativa da Região Autónoma da Madeira delibera que se recomende ao Governo Regional a criação e implementação um plano regional de florestação com espécies de difícil combustão.».

Pin It on Pinterest

Advertisment ad adsense adlogger