Preços do gás atingem ponto de inflexão

De acordo com o mais recente relatório divulgado pela Crédito y Caución, o preço do gás parece ter alcançado um ponto de inflexão após uma diminuição significativa em 2014 e 2015.  “A combinação de uma oferta abundante de gás natural líquido, com o abrandamento da procura, os baixos preços do petróleo e uma ampla disponibilidade de gás de xisto, mantém os preços do gás muito abaixo do nível de 2011-2014. Os preços do gás parecem ter tocado fundo nos três principais mercados (América, Ásia e Europa), mas prevê-se que aumentem nos próximos anos. Como combustível relativamente limpo e flexível, é provável que o gás ganhe uma maior quota no mix energético”, esclarece o relatório.

Do ponto de vista da oferta, a expansão da capacidade de exportação de gás natural líquido, em particular nos Estados Unidos e Austrália, constitui um desenvolvimento muito relevante. Espera-se que os EUA, o maior produtor mundial de gás, aumente fortemente a sua produção entre 2016 e 2021. Por seu lado, a Rússia, o maior produtor na Europa, está decidida em responder à procura chinesa, mediante a construção de gasodutos, e em explorar às possibilidades de venda do gás natural líquido a nível mundial.

Do lado da procura, espera-se que, nos próximos anos, a China se volte a converter num motor-chave de crescimento. O maior consumidor de gás na Ásia cresceu apenas 4% em 2015, a percentagem mais baixa em décadas, mas prevê-se que o crescimento entre 2015 e 2021 alcance os 9,1%. Na Europa, o crescimento do consumo de gás será mais moderado.

Pin It on Pinterest