“Cultura não acontece apenas na capital da Madeira”

Só no ano passado, 3.300 pessoas visitaram a casa-mãe do Centro Cultural John dos Passos, na Ponta do Sol. 2016 foi assim o melhor ano de sempre em termos de visitantes e um ano em que houve um “crescimento extraordinário”, sobretudo tendo em conta que, no ano anterior, o total de visitantes tinha sido de 1.240. Os números foram avançados, na tarde de ontem, pelo Secretário Regional da Economia, Turismo e Cultura, Eduardo Jesus, no âmbito da inauguração da mostra “John dos Passos: O Homem, o Escritor, o Artista e a Ilha da Madeira” na na Sala de Exposições do Centro Cultural John dos Passos.

Na ocasião, Eduardo Jesus sublinhou que o aumento do número de visitantes “significa um reconhecimento pelo esforço que tem sido feito para descentralizar a cultura. A cultura não acontece apenas da capital da Madeira. A descentralização é uma obrigação porque a cultura está junto da alma do povo, é característica de cada população. E isto tem sido conseguido aqui na Ponta do Sol e neste Centro, através de variadissimas ações que em 2016 mobilizaram 24 mil pessoas que participaram em 322 eventos que aqui tiveram lugar”, disse o governante.

Sobre a mostra inaugurada e que resulta do estágio no âmbito do curso de Mestrado – especialização em Culturas Visuais realizado por Márcia Fernandes na Direção Regional da Cultura, sendo aliás o primeiro estágio neste âmbito desenvolvido naquela direção regional, Eduardo Jesus disse ser um projeto que ganha um significado especial “porque a Márcia é natural da Ponta do Sol, enaltecendo o trabalho desenvolvido por este centro”.

“É um prazer aqui estar a descobrir um pouco mais sobre a vida e obra de John dos Passos”, referiu. “Este conjunto de facetas de John Passos que é aqui revelado, deixa-nos sobretudo uma ideia muitos abrangente do que foi a vida e obra de John dos Passos”, um homem que além de escritor, era também artista, um apaixonado pela Madeira e um homem de fortes convições políticas. “Imagino a reação que teria hoje em dia John dos Passos a ouvir um qualquer discurso de Donald Trump”, acrescentou Eduardo Jesus.

Acima de tudo, disse ainda, a mostra inaugurada “passa a ser mais um incentivo para visitar aqui o centro que foi criado por força da tenacidade e paixão da Dra. Maria do Carmo Santos. A todos nós compete, de uma forma ou de outra, reconhecer e dar continuidade a esse trabalho e perpetuar esta memória.

Márcia Fernandes que fez uma visita guiada à mostra explicou que a vontade de criar esta expoisção nasceu há alguns anos, quando esteve a trabalhar no Centro através do programa Jovem em Formação, altura em que achou que era importante ter algo que explicasse à população residente e visitante o porquê da criação de um espaço em homenagem a John dos Passos.

A mostra ficará patente até ao dia 30 de junho, podendo ser visitada de segunda a sexta-feira, das 9 às 17h30.

Pin It on Pinterest