Políticas Geradoras da Pobreza na Madeira e Soluções para um Novo Rumo

O Grupo Parlamentar do PCP na Assembleia Legislativa da Madeira abordou sobre as Políticas Geradoras da Pobreza na Madeira e Soluções para um Novo Rumo.

Segundo Edgar Silva: “É cada vez mais difundida a ideia de que a pobreza se reduz às situações mais extremas de miséria, como pedintes e sem abrigo, entre outros. Também é passada, pelo poder instituído, a ideia de que a pobreza seria uma fatalidade para quem não teve sorte, para quem não se teria esforçado o suficiente, ou problema de quem não quis ou não quer trabalhar.

Tais ideias servem, sobretudo, para reforçar o argumento assistencialista de que seria apenas necessário garantir a sobrevivência dos pobres sem contudo alterar a sua situação.

Segundo dados apresentados pela Região Autónoma da Madeira junto da União Europeia, cerca de 30% dos madeirenses e portossantenses vivem abaixo do limiar da pobreza, e destes a grande maioria são assalariados, reformados e pensionistas.

Quer isto dizer que as causas essenciais da pobreza são os baixos salários e as baixas pensões e reformas, é o desemprego e a precariedade, foi o roubo nos salários e nas pensões e em todas as prestações sociais.

A parte do trabalho na distribuição do Rendimento Nacional reduziu-se e representou, no último ano, apenas 44,6%, enquanto a parte do capital e outros rendimentos atingiram 55,4%.

É por todos estes motivos que o Grupo Parlamentar do PCP na Assembleia Legislativa da Madeira vai apresentar um conjunto de propostas”.

Pin It on Pinterest