Polícia de Manchester investiga rede terrorista

A polícia de Manchester, pela voz do chefe da polícia local, Ian Hopkins, anunciou hoje que está a investigar uma rede terrorista e que estão a decorrer buscas em vários locais da cidade inglesa. As declarações vão de encontro a informações divulgadas anteriormente, que davam conta de que Salam Abedi, o suspeito do atentado que matou 22 pessoas no domingo, não teria sido a pessoa que fabricou a bomba detonada na Arena de Manchester, à saída do concerto da cantora americana Ariana Grande.

Três pessoas foram detidas esta manhã em Manchester, por suspeita de estarem relacionadas com o ataque bombista. A polícia local anunciou as detenções, mas não adiantou pormenores sobre a identidade dos suspeitos. São agora quatro as pessoas detidas na investigação, incluindo o irmão do terrorista que se fez explodir.
A ministra do Interior britânica, Amber Rudd, confirmou hoje que o autor do atentado, Salman Abedi, era “conhecido” dos serviços de segurança.

“É alguém que eles [serviços secretos] conheciam”, disse à BBC. “Parece ser provável e possível que ele não estava a fazer isto sozinho.”

Salman Abedi, de 22 anos, residia num apartamento de Fallowfield, no sul de Manchester. O homem terá regressado de uma recente de uma viagem à Líbia e as autoridades francesas revelam que também terá viajado para a Síria – país onde o Daesh tem as suas bases – onde se terá radicalizado.

Pin It on Pinterest