Adjunto do secretário de Estado das Comunidades poderá ser exonerado

Nuno Barreto, adjunto do secretário de Estado das Comunidades, poderá ser exonerado do cargo caso se confirme que a sua estadia na China, a convite da empresa Huawei, em Janeiro deste ano, custou mais de 150 euros, o valor definidos pelo Código de Conduta aprovado pelo Governo da República há cerca de um ano.

A notícia é avançada pelo Observador, que acrescenta que Nuno Barreto admitiu ao jornal online que esteve na China, assegurando, no entanto, que pagou as viagens e que só a estadia e as refeições ficaram a cargo da Huawei.

Fonte do Ministério dos Negócios Estrangeiros disse que se o adjunto de José Luís Carneiro “tiver desrespeitado o limite” fixado pelo Código de Conduta, “estar-se-á perante um caso de violação de deveres, incompatível com a continuidade do exercício de funções”.

Fonte do MNE disse ao jornal Público que neste caso não estará em causa uma situação de conflito de interesses, visto que o Ministério não tem negócios com a empresa em questão. Contudo, caso se confirme que o valor pago pela Huawei excedeu os 150 euros, a exoneração é automática.

De acordo com O Observador, nem Augusto Santos Silva (ministro dos Negócios Estrangeiros) nem José Luís Carneiro tinham conhecimento da viagem do adjunto do secretário de Estado das Comunidades à China.

Pin It on Pinterest

Advertisment ad adsense adlogger