Ministério Público investiga rede de adopções ilegais na IURD

O Ministério Público abriu um inquérito a uma alegada rede de adopções ilegais de crianças portuguesas ligadas à Igreja Universal do Reino de Deus (IURD), revelou hoje à Lusa a Procuradoria-Geral da República.

O lar para crianças gerido pelo movimento funcionou entre 1994 e 2001 de forma ilegal e acolhia crianças entregues directamente por famílias em dificuldades, sem passar pelos trâmites legais. Os menores acabavam depois no estrangeiro, adoptados ilegalmente por bispos e pastores da IURD.

Entre os casos mais mediáticos estarão os netos do bispo Edir Macedo, milionário brasileiro e líder espiritual da IURD, que terão sido roubados em Portugal num esquema de tráfico de menores que operou durante os anos 1990 a partir de um lar para crianças que funcionava em Lisboa.

Segundo a investigação, apesar de o Lar Universal funcionar de forma ilegal, muitas das crianças foram enviadas para lá pelos próprios tribunais e pela Segurança Social.

Pin It on Pinterest