Reitor responde por desvio de três milhões de euros

O reitor da Universidade Fernando Pessoa, Salvato Trigo, está a ser julgado no Tribunal Judicial da Comarca do Porto pelo desvio de “pelo menos” três milhões de euros da instituição de ensino privado para benefício próprio e da sua família.

Segundo o jornal Público, o julgamento decorre desde Outubro à porta fechada a pedido do arguido. A acusação refere vários esquemas que Salvato Trigo terá montado para obter grandes quantias de dinheiro da fundação que detém a universidade, canalizando-o para uma empresa em nome do próprio, da sua mulher e dos dois filhos.

O caso, denunciado pela Ordem dos Contabilistas Certificados, já foi averiguado por um juiz de instrução que considera provável a condenação devido à existência de provas, na sua maioria documentos.

O reitor está a ser julgado por crime de infidelidade, um ilícito punido “com pena de prisão até três anos ou com pena de multa”, já que causou “prejuízo patrimonial importante” de forma intencional quando tinha “o encargo de dispor de interesses patrimoniais alheios ou de os administrar ou fiscalizar”.

O Ministério Público pede que a vantagem patrimonial obtida com o crime — pelo menos 3.033.056 euros — seja declarada perdida a favor do Estado, uma vez que foi obtida“através da prática de um facto ilícito”.

Esta não é a primeira vez que Salvato Trigo responde por crime em tribunal. No final dos anos 90 foi condenado a 10 meses de prisão, suspensos, num processo que envolvia o desvio de subsídios do Fundo Social Europeu, quando era director da Escola Superior de Jornalismo do Porto.

Pin It on Pinterest