Comissão de Utentes denuncia situação precária no transporte de utentes. SESARAM avança que assegurou mais de 128 mil transportes de doentes

A Comissão de Utentes esteve,esta quinta-feira, junto ao Hospital Nélio Mendonça a denunciar a situação precária da rede de transportes de utentes do SESARAM. Temos recebido diversos relatos acerca das péssimas condições em que se encontram os veículos utilizados no transporte de utentes, situação que se prolonga há demasiado tempo. Um dos casos mais graves, trata-se da manutenção de um espaço estéril no interior das ambulâncias. Depois de efetuado o transporte dos doentes, o interior das ambulâncias é limpo apenas de uma maneira superficial, contribuindo para a transmissão de agentes infeciosos entre os utentes, e representando também um elevado risco para os operacionais responsáveis pelo transporte”, apontaram. “Temos ainda situações lastimosas nos casos de doentes submetidos a transplantes e que por isso têm de ser transportados sozinhos por estarem mais debilitados a nível imunológico são transportados nestes veículos que não se encontram nas mínimas condições de esterilidade de modo a garantir a saúde do paciente. Além disto, os próprios assistentes não têm acesso a luvas e desinfetantes próprios, entre outras situações graves, desde a macas estragadas, a falta de equipamentos de desfibrilação ou mesmo a falta da manutenção dos mesmos”, adiantaram ainda. “O GPS das viaturas normalmente encontra-se inoperacional e os assistentes têm de utilizar o seu próprio telemóvel para contatar os utentes”, acrescentaram.

A Comissão de Utentes exige aos órgãos administrativos e à Secretária regional da Saúde que “encontre uma solução urgente e efetiva para estes problemas que não deveriam existir quando se está a pensar em construir um Hospital novo, quando o atual não tem nem as condições mais básicas e fundamentais para o seu funcionamento”.

SESARAM assegurou mais de 128 mil

transportes de doentes

No mesmo dia em que a Comissão de Utentes tinha agendado esta iniciativa para o início da tarde desta quinta-feira, o SESARAM emitiu uma nota informativa, durante a manhã deste dia. «O Serviço de Saúde da Região Autónoma da Madeira (SESARAM, E.P.E), informa que no ano de 2017 assegurou 128.605 transportes de doentes, dos 134.378 transportes solicitados, o que corresponde a uma taxa de concretização na ordem dos 96%. Este número representa um ligeiro acréscimo em relação ao ano anterior. Foram contabilizados mais 8.109 transportes realizados, o que perfaz uma média diária de 352 transportes de utentes.

Dentro dos recursos disponíveis, tem sido possível assegurar os seguintes serviços de transporte, considerados prioritários, a saber:

– Doentes para tratamentos oncológicos, nomeadamente, Hospital de Dia, e outras unidades de apoio ao Hospital Dr. Nélio Mendonça, na área da oncologia (deslocações que constituem um maior volume de transportes);

– Doentes para tratamento de hemodiálise;

– Doentes para tratamentos na área da Medicina física e Reabilitação;

– Doentes para exames, fisioterapia e consultas entre as unidades do SESARAM;

– Doentes dos serviços de urgências, dos Centros de Saúde onde existe serviço de urgências;

– Doentes com alta clínica e que necessitam de transporte;

– Doentes que necessitam de transporte para receber cuidados paliativos;

– entre outras situações….

O SESARAM através dos meios disponíveis, e com a imprescindível colaboração de outras entidades, tem encetado todos os esforços no sentido de responder a todas as necessidades

Importa referir que a portaria.º 122/2016, publicada no JORAM, no dia 9 de maio de 2017, que procede à 1.ª alteração da Portaria n.º 37/2013, de 11 de junho, que aprovou o Regulamento de Transporte Não Urgente de Doentes do Serviço Regional de Saúde, veio alargar o universo de utentes com direito a essa prestação de serviços.».

Pin It on Pinterest

Advertisment ad adsense adlogger