“Há apenas um sucesso – ser capaz de gastar o seu tempo à sua maneira”

Reflita nisto: se morrer amanhã, a sua família e os seus amigos irão com toda a certeza sentir a sua falta. Depois de amanhã o seu lugar, no trabalho, será ocupado por outro. Sendo totalmente substituível no emprego, como é possível que mais de dois terços da sua vida sejam dedicados ao trabalho e menos de um terço dedicados à família e amigos?… Existe uma cultura dominante que afirma continuamente a escassez. Escassez de recursos, escassez de dinheiro, escassez de alimentos.

É esta cultura que permite que menos de 3% da população mundial tenha o controlo sobre mais de 95% dos recursos do planeta. Nesta cultura é importante afirmar continuamente a vitimização, manter as massas amedrontadas.

Enquanto a “culpa” for dos governos, das autoridades, das bactérias causadoras de doença, dos mercados mundiais, do desemprego que cresce continuamente, então o ser humano tem que viver na resignação. Tem que ser bem comportado para não perder o emprego onde muitos ganham apenas o suficiente para ir vivendo. Nesta cultura encoraja-se a pessoa a endividar-se, a comprar coisas que prometem uma felicidade fútil, a ter pena dos “coitadinhos”, a pensar continuamente na desgraça alheia, no fundo, a ter medo. Medo de perder o emprego, medo de adoecer, medo de morrer, medo de ficar sem casa, medo de ser menos que o vizinho. Medo de viver!

O medo mantém a pessoa condicionada. Impede a pessoa de crescer. Já pensou por que

motivo há uns dias, ao longo do ano, em que se festeja algo? Há o dia do trabalhador, o dia de natal, o dia da mãe e do pai… enfim, dias que por momentos emprestam alguma humanidade à vida. A verdade é bem diferente. Cada dia deveria ser um dia de festa, de celebração, de alegria por experienciar a vida na sua plenitude!

O maior medo incutido ás pessoas é o medo da mudança! Mas se observar à sua volta, a Vida é feita de mudança. Tudo muda, tudo tem que mudar! É uma Lei do Universo.

Como pode o ser humano agir contra-natura e limitar-se a viver os melhores anos da sua vida num trabalho que muitas vezes odeia, a fazer coisas que detesta, com colegas de trabalho que não suporta, para depois se reformar e viver na tristeza inerente de não ter vivido?… Pense nisto.

Para viver a Vida com que sonha, terá que efetuar algumas mudanças essenciais.

A primeira é começar a acreditar na Sabedoria do Universo. Qualquer sistema de crenças (incluindo muitas religiões) que incutem no indivíduo a crença de que há um ser superior que castiga, que pune, limita a experiência humana. É de uma arrogância extrema acreditar que um Ser que cria Universos, Vida, tudo o que existe, possa sentir-Se magoado, ofendido, por um ser humano que “peca”! Como pode um Ser tão excecional enfurecer-Se, sentir-Se ofendido e castigar algo criado por Si?

Só quando começar a pensar que todos os seres são na verdade um só ser é que poderá sentir a liberdade de experienciar a Vida na sua totalidade. Quando tiver consciência que aquilo que deseja aos outros é a si mesmo que está a desejar, quando aquilo que faz aos outros é a si mesmo que o faz, quando sentir que tudo está continuamente interligado, então poderá começar a ver a Magia presente na Vida.

Todo o ser humano tem o direito a viver os seus sonhos. Todos podemos contribuir para um planeta saudável.

O que pode começar a fazer hoje mesmo: Sinta-se grato pelo dia que lhe é oferecido. Agradeça a Deus, ou ao Universo, ou ao seu Guia (o nome é irrelevante, o importante é agradecer). Comece ainda na cama, ao acordar. Agradeça o dia fantástico que vai ter.  As situações maravilhosas que a Vida lhe irá oferecer. Faça-o como já tendo acontecido;

Deixe de socializar com os arautos da desgraça. Os colegas de trabalho que gostam de contar as desgraças alheias, de falar da vida dos outros, de inundar todo o espaço à sua volta com veneno psicológico. Evite essas pessoas! Se é uma dessas pessoas, então está na altura de mudar! Num intervalo, em vez de ir beber um café e ler o jornal (outro araruta da desgraça), vá dar um passeio. Ou faça alguns exercícios de respiração.

Ou pode falar com alguém sobre o tão maravilhoso que o dia está (sim, mesmo quando está a chover e frio, já pensou nas pessoas que não sentem a chuva na cara nem o frio na pele, porque estão numa cama de um hospital?). É bom poder experienciar cada momento do dia completamente consciente! A Lei da Atracão. Existe. Aquilo em que mais pensa atrai. Nós somos energia em vibração.

Boa semana e faça reflexologia no Centro de reflexologia da Madeira.

Reflexólogo Prof. Eduardo Luís

Pin It on Pinterest